Inflação leva brasileiros a comprar criptomoedas, diz KuCoin

Inflação correu valor do real e incentivou criptomoedas. Foto: Eduardo Soares, Unsplash.

Um total de 34,5 milhões de brasileiros, ou seja, 26% da população com 18 a 60 anos, resolveram investir em criptoativos nos últimos seis meses. Para, 64% , o objetivo é mais lucros nos seus investimentos, enquanto os outros 21% são curiosos com as moedas digitais. As estimativas são do estudo In The Cryptoverse, bolsa de criptomoedas KuCoin.

A KuCoin foi lançada em 2017 e tem sede em Seychelles. A Forbes indicou a exchange como uma das melhores bolsas de criptomoedas em 2021.

Um dos destaques da pesquisa da KuCoin foi o papel da inflação no aumento dos usuários das criptomoedas no Brasil. A alta da inflação, que em 2021 bateu os dois dígitos – pelo IPCA foi de 10,06% e pelo IGPM foi de 17,7% – corroeu o poder de compra dos brasileiros. Dessa forma, se tornou um dos maiores motivos para as pessoas trocassem as formas tradicionais de pagamentos e investimentos pelas criptomoedas, de acordo com a KuCoin. Segundo o estudo, cerca de 62%, dos usuários adotaram as criptomoedas em seus investimentos por conta da inflação.

Já as moedas digitais são bem-vistas e confiáveis para 53% dos entrevistados e 50% deles esperam ter um alto retorno de seus investimentos, mesmo que a longo prazo. O objetivo de 40% dos brasileiros que usam as criptomoedas é melhorar as suas condições familiares e 36% usam os lucros como fonte de renda e complemento de seus salários.

O relatório foi mais longe e demonstrou que o país possui 34 milhões de jovens sem acesso aos serviços bancários, ou por morarem em áreas ruais ou receberem baixos salários. Assim, essa faixa de usuários viu nos ativos digitais uma saída para fazerem seus pagamentos e economias.

Inflação faz brasileiros buscarem maiores lucros

Com relação aos lucros, o estudo apontou que 52% dos brasileiros investidores em criptomoedas estão lucrando acima de US$ 10 mil por ano. Os curiosos, que são os 36%, estão lucrando US$ 5 mil por ano. Do grupo de cripto curiosos, 56% são de mulheres.

Com receio de perderem dinheiro investindo em um mesmo tipo de carteira, os investidores criptos resolveram diversificar. Um em cada seis deles alocamais de 90% de sua carteira de investimentos para as criptomoedas. E maioria deles espera mais de 20% de seus rendimentos sejam em criptomoedas, esperando uma perda abaixo de 10%.

Uso de Pix para comprar criptos

Os investidores brasileiros de criptomoedas têm uma atividade frequente. Isso porque pelos menos 75% deles trocam moedas fiduciárias por criptomoedas pelo menos uma vez por mês. Do total, os 58% usam o sistema de transferência bancária online, como por exemplo o Pix. Já os 57% usam as carteiras digitais como a Apple Pay ou PayPal para finalizar os seus processos.  Um dos dados mais importantes dessa pesquisa foi constatar que 69% os usuários brasileiros preferem comprar as criptomoedas na KuCoin por meio de transferências bancárias online como o Pix, por serem mais fáceis e rápidas.

Quase metade, os 39% dos investidores brasileiros são cuidadosos quando investem as suas economias em criptomoedas. Já os 17% são mais ousados e apostam todos os meses. Do total, apenas 46% dos investidores em criptos se atraem por produtos que lhe oferecem renda passiva ou preferem comprar as criptomoedas em primeiro lugar. No grupo dos criptos curiosos, 46% buscam formas de gerenciar melhor os seus riscos de portfólio, enquanto 39% procuram os produtos mais adequados. Os 33% são incertos com relação aos sinais do mercado e 27% não entendem o funcionamento das criptomoedas.

Receio das Plataformas

Enquanto o estudo das KuCoin mostra o interesse dos brasileiros por criptomoedas, um relatório recente feito pela Bitstamp Crypto Pulse apontou que a maior barreira ao investirem em cripto está na dúvida ou insegurança sobre qual plataforma é confiável.

Segundo o relatório, apesar da insegurança, dos 23 países da pesquisa, é um dos que mais confia nas criptomoedas, com cerca de 75%. Apesar do receio, no geral, os entrevistados mostraram confiar que no futuro as criptomoedas terão um papel fundamental nas finanças. Quase 80% dos entrevistados do varejo e 72% dos institucionais acha que criptos serão adotados no cotidiano financeiro dentro de 10 anos.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *