Ganhos de criptomoedas ligadas a DeFi foram destaque em maio, diz Grayscale

Imagem: Kanchanara, Unsplash.

Num mês agitado para as criptomoedas, com eventos como a aprovação da listagem de ETFs de Ether nas bolsas de Nova York e avanço de legislação sobre cripto no Congresso dos Estados Unidos (EUA), maio foi também o período em que as moedas digitais ligadas a finanças descentralizadas (DeFi) tiveram um desempenho melhor do que aquelas com outros focos. A análise é da gestora Grayscale, que categoriza os ativos em diferentes grupos.

A Ether foi tão bem que teve um desempenho superior ao do mercado quando comparada ao Índice do Mercado Total de Criptos Setoriais da Grayscale. Enquanto isso, bitcoin ficou abaixo do mercado, com 13%. Mesmo assim, “as entradas nos ETFs de bitcoin à vista listados nos EUA aumentaram em maio, somando US$ 2,1 bilhões”, de acordo com o relatório mensal da Grayscale. Desde o lançamento dos ETFs de bitcoin em 11 de janeiro, as entradas neles somam cerca de US$ 14 bilhões.

O que pode ter prejudicado a cripto foi a perspectiva de a falida Mt. Gox começar a desembolsar a cripto para pagar seus clientes, o que está previsto para começar em outubro deste ano. Com um espólio de US$ 10 bilhões da exchange que movimentava cerca de 70% dos bitcoins do mercado, o receio é a venda ao menos de parte desse valor.

Desempenho das criptomoedas

Em relação ao Índice do Setor de Criptomoedas Financeiras, o que inclui, por exemplo, Uniswap, AAVE e Compound, o ganhos de 18% foram principalmente por conta da primeira delas e da Celsius. “O mercado pareceu interpretar a aprovação parcial de ETFs de ETH à vista como positiva para tokens de DeFi em geral, incluindo UNI”. Apesar do bom desempenho no mês, houve queda de 6% da UNI no dia 31 devido ao adiamento da votação que poderia direcionar receita de taxas para quem tem os tokens.

No caso do CEL, a cotação subiu cerca de 750% após mais de 90% do suprimento do token ser queimado como parte do processo de falência da credora de criptomoedas, que foi à bancarrota em 2022.

Depois do Índice das Criptomoedas Financeiras, o setor que teve melhor desempenho foi o de Plataformas de Contratos Inteligentes, de ativos como Ethereum, Cardano e Solana, com 14%. Na sequência veio o Índice das Criptomoedas de Consumo e Cultura, como ImmutableX e Decentraland, com 13%, segundo o relatório.

O Índice do grupo de Criptomoedas, ou seja, das que são um meio de troca, uma reserva de valor e unidade de contabilidade subiu 12% Nesse grupo, a Grayscale coloca criptos como bitcoin e XRP da Ripple. As do Índice de Criptomoedas Utilitárias e de Serviços tiveram ganho de 5%, em especial por conta de aumentos da Chainlink (LINK), Ethereum Name Service (ENS) e Livepeer (LPT).

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *