Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Dynasty Global integraliza capital social com criptomoeda para operar no Brasil

Dynasty Global vai começar traz capital para operar no Brasil. Foto: Austin Distel.

A Dynasty Global Investments, plataforma de investimento em token fundada na Suíça, integralizou seu capital social no Brasil com seus tokens D¥N. Para isso, transferiu o equivalente a R$ 1,026 milhão para iniciar a operação aqui.

A startup vai centralizar no Brasil a parte operacional do negócio, a tokenização de imóveis. Com isso, evita o custo suíço, muito alto em comparação ao Brasil.

Aqui, deverão ficar, por exemplo, tesouraria, gestão de ativos, financeiro e jurídico, disse ao Blocknews Eduardo Carvalho, um dos fundadores da empresa.

A possibilidade de integralização de capital social com criptomoedas era uma dúvida das juntas comerciais. Mas, em dezembro passado, o Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração (DREI) do Ministério da Economia confirmou a possibilidade.

A integralização na Dynasty foi feita no último dia 21. Assim, a empresa transferiu, da tesouraria da Suíça, 3.136 de D¥Ns para a carteira da empresa no Brasil.

Integralização pode crescer

Até agora, não se sabe quantas dessas operações de integralização com criptos já foram feitas no Brasil. De acordo com o advogado Hélio Moraes, sócio da PK Advogados, o ofício Ofício Circular SEI nº 4081/2020/ME pode levar mais empresas a realizar esse tipo de operação. Moraes é também advogado da Dynasty.

“Entendíamos que a integralização era possível. Tanto que fizemos parecer sobre o assunto. Mas, nenhum cliente havia tido coragem de tentar antes do ofício”, disse Moraes ao Blocknews.

“A operação foi feita em cerca de 15 minutos, porque a rede blockchain estava bem lenta, e custou U$ 7,60 (em torno de R$ 35)”, disse Carvalho.

Foco na Europa e Ásia

Carvalho e Fábio Asdurian criaram a Dynasty no Crypto Valley, na Suíça. A região promove projetos com criptos e blockchain e, portanto, se tornou referência global no assunto.

O registro na junta comercial saiu ontem (1). Portanto, a empresa está contratando 30 pessoas para seu time que já tem 20 em São Paulo.

Segundo Carvalho, a startup já tem investidores interessados em seus tokens Dyn. Agora, espera a autorização da Swiss Financial Market Supervisory Authority (FINMA) para fazer a oferta pública.

A oferta terá foco na Europa e Ásia. Mas, os imóveis serão comprados no Brasil. No entanto, a startup não informa quantos investidores e quais valores se comprometeram a investir. Dentre eles há os 21 sócios da startup.

O endereço do contrato da Dynasty é 0x65167e381388bc803aa2f22cd99d093068e98007. O O D¥N é diferente da moeda DYN, que já está listada e que não é da Dynasty Global*.

Parte dos investidores é da rede de contatos dos fundadores em suas atividades anteriores à Dynasty. Carvalho, por exemplo, trabalhava com imóveis de alto padrão. Já Asdurian, fundou redes de calçados e tênis.

Dynasty Global olha o futuro

Assim como ter uma operação no Brasil reduz seu custo, a Dynasty está melhor posicionada para eventual aprovação desse tipo de token no país. Portanto, pode ficar mais fácil ter uma posição de liderança na eventual liberação desses tokens.

“O mercado está começando a entender o que é cripto. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) lançou o sandbox. Além disso, é possível integralizar capital social com criptos. Os fundos nacionais podem, ainda, investir em fundos internacionais de criptos”, mencionou Carvalho.

“Tem um cenário se moldando para aceitar empresas de criptos. Com nosso conhecimento, entendemos que para nos posicionarmos para participar do mercado brasileiro no futuro, é interessante abrir a empresa aqui”, completou.

O preço do D¥N é de 55 francos suíços, ou seja, de cerca de US$ 61 ou R$ 360.

*Reportagem atualizada no dia 5 de fevereiro de 2021, às 10h55, com a informação sobre o número do contrato da D¥N e correção de sua grafia.

7 Comentários

    1. Cara Kelly, a moeda DCY não é da Dynasty Global. A moeda da Dynasty ainda não está listada em nenhuma bolsa. Por enquanto, a empresa oferta o token a investidores interessados no negócio. A listagem acontecerá depois que a autoridade regulatória da Suíça emitir a autorização. Há ainda uma outra moeda, a DYN, que também não é da Dynasty. A grafia da sigla da moeda da empresa é D¥N. Obrigada por seu comentário!

    1. Boa tarde Karina, Em 2018 houve demora para sair a regulamentação aprovada pela FINMA! No segundo semestre de 2019 estavam prontos para lançamento, mas pelo que está escrito no Smart Contract da sua moeda (D¥N), não daria tempo para alocar os investimentos ! E em 2020 adiado infelizmente por questão do COVID! Agora em 2021, ja confirmaram a data oficial para lançamento da oferta publica em 01/07/2021.

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>