Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Dynasty, do token D¥NS, prepara base em Dubai, listagem em mais bolsas e expansão no Brasil

Eduardo Carvalho, CEO da Dynasty, diz que plano e valor de transações crescer 70 vezes. Foto: Dynasty.

A Dynasty Global Investment, startup de brasileiros com sede na Suíça e que emite a criptomoeda D¥NS, associada a imóveis, está montando um escritório em Dubai com foco no mercado asiático, preparando a listagem do criptoativo em mais seis exchanges em 2022 e a venda dos tokens aqui.

Com ações como essas, a Dynasty Global pretende aumentar em 70 vezes os quase US$ 100 mil negociados ao dia nas quatro exchanges atuais, disse ao Blocknews o CEO global e fundador da empresa, Eduardo Carvalho. De acordo com ele, a meta é atingir US$ 500 mil em negociações em março de 2022.

Para a oferta no Brasil, a empresa conta com o reconhecimento de empresa de pagamentos da Autoridade Supervisora do Mercado Financeiro (Finma) da Suíça. Como há um acordo de reconhecimento de classificação entre o regulador suíço e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), não será preciso pedir licença aqui, diz Carvalho. “Somos uma empresa suíça. Mas meu interesse também é desenvolver o Brasil”. Por enquanto, o foco é Europa.

Sobre a operação em Dubai, Carvalho diz que haverá 14 pessoas para vendas, que estão em seleção, e 10 para outras, como administração e marketing. Na Suíça, a Dynasty tem 6 pessoas e vai subir para 12 em 2022. No Brasil, são 65 do comercial – aqui já houve oferta privada dos tokens – marketing e tecnologia.

“Dubai é um hub importante e uma cidade que enxerga muito o futuro. Há quatro anos não achei q estavam preparados. Faltava muita coisa. Hoje tem uma comunidade de blockchain forte”, afirma Carvalho. Como a cidade tem pessoas de diversas nacionalidades, a Dynasty Global espera encontrar profissionais que deem suporte à empresa em suas próprias línguas em seus países de origem.

Dynasty Global quer estar em 10 exchanges em 2022

Hoje, a cripto D¥NS está nas exchanges Probit (Coréia do Sul), nas estonianas Latoken e P2PB2P, e na Exmarkets (Ilhas Virgens Britânicas). A expectativa é de serem dez no total até metade de 2022. ano. Os nomes das novas a empresa não revela.

Neste mês, o token passou também a aparecer no CoinMarketCaps, referência para quem acompanha as cotações de criptomoedas. Ao meio-dia desta quarta-feira (24), o valor da cripto estava na faixa de US$ 106 no site. O volume de negócios era de US$ 42 mil nos últimas 24 horas.

Mas além do varejo, a estratégia da Dynasty foca também em gestores de ativos e de fortunas, inclusive de famílias, os chamados family offices. Há family offices com interesse saber sobre criptomoedas porque veem que o mercado está crescendo e conhecer projetos e entender o que está acontecendo, completou.

Esse movimento de buscar investidores institucionais, fora do mundo de criptomoedas, é o que todo o segmento está fazendo. Isso porque é neles que está boa parte do dinheiro investido em diferentes ativos. Mas há resistência para entrar em criptos. Portanto, a solução está sendo encontrar esses investidores para mostrar o que são esses novos ativos, por que, como e quanto aderir a eles.

Oferta de D¥NS será de 21 milhões de unidades

A oferta de D¥NS é limitada. Haverá a distribuição de 21 milhões de D¥NS, sendo que 94,22% vai a mercado e o resto fica coma equipe e os fundadores. A distribuição está em cerca de 395 mil tokens. Cerca de 40% estão nas mãos de europeus, 40% são brasileiros e o restante está distribuídos em outros mercados. Os Estados Unidos (EUA) não são foco da empresa, que considera um mercado ainda imaturo.

Ao vender os tokens, a Dynasty Global arrecada recursos para comprar imóveis de alto padrão pelo mundo. Neste ano, comprou o primeiro, na área financeira da cidade de São Paulo. Com o aluguel dos imóveis, a empresa recomprará D¥NS nas exchanges para queimar. Assim, aumenta a escassez do token, o que pode ajudar a subir seu preço.

A Dynasty diz que seu token tem referência e não tem lastro em imóveis, porque o preço do imóvel e do aluguel são alguns dos fatores que afetam a cotação da D¥NS. Outro pode ser, por exemplo, um acordo com uma empresa de pagamentos para a cripto ser usada em sua rede. Há ainda questões como liquidez e percepção de valor.

“Boom dos criptoativos vai deixar milhares pelo caminho”

“As gestoras de ativos e fortunas estão estão vendo que é inevitável o mercado ir em direção a criptomoedas. Estão buscando especialização e os bancos estão precisando entender os projetos. Há cerca de 5 anos falei que não importa se gostavam de criptos. Seus clientes vão pedir para comprar criptos e vocês vão perder clientes. E é o que está acontecendo agora”. Por enquanto, o foco dessas instituições continua em bitcoin e ethereum, completou.

Carvalho acredita que o segmento de criptomoedas também vai passar por um boom como o da internet. “Milhares ficarão pelo caminho e várias empresas vão prosperar.” A Dynasty, acredita, vai sobreviver porque compra ativos para gerar receita de forma consistente, ter reserva e protegar o valor da cripto. “Chega um momento em que sustentaremos o preço pelo próprio portfolio”.

Por isso, o CEO da Dynasty é a favor de regulação, para se “separar joio de tribo e proteger o investidor”.

1 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>