Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Chinesa Coinbene vai parar operação de criptomoedas no Brasil em 31 de novembro

ETFs de criptomoedas se saem melhor do que outros fundos de índices na B3.

A exchange chinesa Coinbene anunciou, nesta segunda-feira (18), que vai sair do Brasil. Por isso, vai parar os serviços no próximo dia 31 de novembro. “Devido a razões políticas bem conhecidas, muitas corretoras de criptomoedas, incluindo a CoinBene, estão sujeitas a restrições operacionais por parte do governo chinês”, disse a empresa num comunicado.

Os usuários com ativos em reais na Coinbene devem retirar os valores antes de 31 de novembro. Depois disso, devem contatar a Coinbene global, segundo o comunicado. No entanto, a empresa não fornece o contato para, assim, facilitar o acesso por seus clientes.

A China está adotando medidas para limitar a mineração e as negociações de criptomoedas no país. Inclusive de empresas que atuam no exterior.

A empresa está no Brasil desde 2018. Em agosto de 2020, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determinou que a Coinbene e seu responsável, Chenmin Gao, parassem imediatamente de vender contratos futuros de criptomoedas no país. Isso porque não tinham autorização da CVM para isso.

“Se não podemos fornecer serviços de qualidade, preferimos parar. Aqui, decidimos interromper a operação da equipe local brasileira, incluindo atendimento ao cliente em português e depósito e saque em BRL”.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>