Bolsa de criptomoedas FTX recebe aporte e seu valor sobe para US$ 25 bilhões

Maioria dos investidores em criptomoedas aprende sozinho sobre o tema. Foto: Ahmad Ardity, Pixabay.

A FTX Trading, exchange que tem até Gisele Bundchen como sócia, recebeu um aporte de U$ 420,69 milhões (cerca de R$ 2,44 bilhões) numa série B-1. Com isso, apenas dois anos depois de ser criada, seu valor está em US$ 25 bilhões.

A lista de 69 investidores da rodada inclui gente de muito peso, como fundos e contas sob gestão da BlackRock, maior gestora de ativos do mundo. Assim como a Temasek, de Singapura, que aqui ja investiu em empresas como Netshoes, Klabin e Burguer King. E que já fez outros investimentos em blockchain.

Com o aporte, a FTX pretende operar em novos mercados. Além disso, vai aumentar sua oferta de produtos e serviços. Há três meses houve uma rodada série B, que agora a Temasek anunciou que colocou mais dinheiro. Assim, essa rodada aumentou em US$ 100 milhões para US$ 1 bilhão.

De acordo com Sam Bankman-Fried, CEO da FTX, os investidores estão alinhados à sua ideia de posicionar a empresa como a bolsa mais transparente e seguidora de boas práticas no mundo. Ramnik Arora, líder de produtos da FTX, disse que haverá investimentos estratégicos, completou.

A FTX afirma que desde seu primeiro aporte, em julho passado, aumentou em 48% sua base de usuários e seu volume médio de negócios cresceu 75%. Agora é de em média US$ 14 bilhões ao dia.

Também desde julho a empresa tem sede nas Bahamas e tem licenças no país e em Gibraltar. A FTX comprou a LedgerX, empresa de contratos futuros e de opções e de liquidação de cripmoedas. Também tem uma plataforma de tokens não-fungíveis, FTX NFTs.

Outros investidores da Serie B-1 incluem também o fundo de pensão dos professores de Ontario, a Sequoia Capital, a Capital, IVP, ICONIQ Growth, a Ribbit Capital e a Lightspeed Venture Partners.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *