Mercado de Criptomoedas por TradingView

Bancos devem atrair usuários de criptos para custódia, diz Capco

A aproximação entre o sistema financeiro tradicional e o ecossistema da economia digital parece ser a trajetória natural a depender de clientes que não fazem ideia, e nem fazem questão de saber, o que significa blockchain. São clientes que preferem continuar na solidez e confiabilidade do sistema financeiro convencional que já conhecem para a custódia de seus ativos.

O mercado de criptoativos deve passar dos cerca de US$ 2 trilhões atuais para US$ 24 trilhões em 2027. E é esse o principal elemento para os insights do recente relatório  “Capco Intelligence: Digital Assets Custody Considerations for Capital Markets Firms”. A Capco é uma consultoria global de gestão e tecnologia dedicada ao setor de serviços financeiros do Grupo Wipro

De acordo com o relatório, esse crescimento na adoção global de ativos digitais e do consequente serviço de custódia, cria uma janela única para as instituições financeiras. Isso porque poderão oferecer seus serviços a clientes em todo o mundo.

“Os ativos digitais estão crescendo em popularidade e há uma oportunidade para as instituições financeiras serem um balcão único para armazenar esses ativos. Assim, a principal oportunidade é servirem de custodiante para o cliente de varejo. Esse não tem o conhecimento técnico para gerenciar suas próprias chaves”, explica Alexandre Bueno, gerente sênior da Capco e head do Capco Digital Lab São Paulo.

Segundo o executivo da Capco, pesquisa recente mostra que 60% dos proprietários de criptomoedas usariam sua instituição financeira para investir em criptomoedas. Além disso, outros 32% disseram que poderiam fazê-lo.

Adoção de segurança por bancos está a caminho, diz Capco

“À medida que a aceitação dos ativos digitais cresce, instituições financeiras tradicionais começam a oferecer mais serviços para esta nova classe de ativos. Instituições financeiras como BNY Mellon e Fidelity, por exemplo, oferecem serviços completos de custódia de criptomoedas para gestores de ativos. Este é um sinal importante para o mercado de que a adoção de segurança generalizada está a caminho. Dessa forma, os ativos digitais não estarão mais associados à periferia da sociedade econômica”, pondera Alexandre Bueno.

Mas, o relatório da Capco também chama a atenção para a questão da regulação de custódia. Em especial para as instituições financeiras que querem prestar esse serviço em diferentes mercados.

“Com o crescimento do setor de ativos digitais surgem oportunidades, riscos e desafios. Os depositários devem cumprir com o cenário regulatório em evolução global. Não só precisam entender as leis domésticas, mas também precisam seguir regulamentações internacionais para atender clientes de outros países. Estruturas Anti-lavagem de Dinheiro/Conheça Seu Cliente (AML/KYC) devem ser muito rigorosas. É imprescindível que os guardiões estejam cientes desses desafios e ofereçam soluções para beneficiar seus clientes”, explica Bueno.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.