Bancos argentinos oferecem criptomoedas

Na Argentina, país onde muitos cidadãos já recebem salários em criptomoedas e vão poder pagar impostos em Buenos Aires usando esses ativos digitais, outra novidade chegou nos últimos dias: o Banco Galicia, maior banco privado em valor de mercado, e o digital Brubank passaram a oferecer compra e venda de criptomoedas aos clientes.

Primeiro foi o Galicia, que passou a oferecer em sua plataforma digital a opção de compra e venda de bitcoin (BTC), Ethereum (ETH), Ripple (XRP) e USDC (stablecoin lastreada em dólar). Pouco depois veio o Brubank, que oferece BTC, ETH, USDC e DAI (stablecoin vinculada ao dólar).

As iniciativas dos bancos argentinos alinham-se a um movimento que parece ter chegado para ficar no país. Assim, busca oferecer alternativas a uma população que sofre há anos com uma inflação crônica e com limites impostos para a compra de dólares.

Parceria com a Lirium

Sem anúncio oficial, o Banco Galicia foi questionado no Twitter sobre compra de cripto e a resposta foi direta: “Sim! Estamos adicionando novas opções de investimento. Se você tiver alguma dúvida, convidamos você a nos escrever em particular.”

A iniciativa do banco tem parceria com a corretora de criptomoedas Lirium, baseada em Liechtenstein, que será responsável pela intermediação das negociações de compra e venda.

Parte do Grupo Financiero Galicia, com ações negociadas na Bolsa de Buenos Aires e Nasdaq, o Banco Galicia é a primeira instituição financeira tradicional argentina a incluir as moedas digitais em suas operações. O interesse dos clientes impulsionou o banco a abraçar a iniciativa.

“Realizamos uma pesquisa com nossos clientes e mais de 60% desejam incorporar esses ativos em sua carteira de investimentos, sendo o público mais jovem o que mais os demanda. Tomando como base os dados, e que o centro das nossas decisões se baseia na experiência e nas necessidades dos nossos clientes, ficamos motivados a promover este projeto.” foi o que disseram Ariel H. Sanchez, Gerente de Produtos de Investimento, e Nicolás de Giovanni, gerente sênior de Produto do banco Galicia, por meio de um comunicado.

O banco digital Brubank também se utilizou do Twitter para contar a novidade: “Sim, já temos criptomoedas! É uma funcionalidade que está sendo progressivamente habilitada para todos os nossos usuários. Quando você o habilitar, poderá visualizá-lo digitando “Investimentos” no aplicativo”, anunciou o banco em post na rede social.

Argentina avança em criptomoedas

Na semana passada, o prefeito de Buenos Aires, Horacio Rodriguez Larreta, anunciou o uso de criptomoedas para o pagamento de impostos. A iniciativa de Buenos Aires se insere num projeto maior da prefeitura portenha de usar tecnologias digitais descentralizadas para melhorar a qualidade dos serviços públicos oferecidos ao cidadão.

“Vamos incorporar a tecnologia blockchain na tramitação dos serviços públicos de Buenos Aires. Todo esse fluxo de informação, que deve aumentar de forma exponencial, vai ficar protegido pela tecnologia blockchain”, afirmou o prefeito durante o anúncio da novidade.

Salários em Criptomoedas

Com uma inflação crônica que afeta o país há anos, os limites impostos para a compra de dólares e uma lei do país que permite que 20% dos salários sejam pagos em espécie, o setor privado argentino já tem se utilizado de criptomoedas como proteção do poder de compra.

Segundo informações da Deel, empresa especializada em folhas de pagamento que atua em 150 países, a Argentina é o país latino-americano que tem a maior parcela de empregados que recebem salários em criptomoedas. Dados da bolsa de criptomoedas argentina Buenbit informados à agência Bloomberg indicam que o número de empresas que pagam salários em criptomoedas saltou 340% nos últimos 12 meses até março.

Quem não parece feliz com o avanço da moeda digital é o Banco Central da Argentina, que recentemente divulgou alerta aos argentinos sobre a vulnerabilidade dos criptoativos a ataques cibernéticos.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *