9 previsões sobre criptomoedas e blockchain para 2024

O que pode acontecer com Bitcoin, Stablecoins, L1 e L2. Imagem: Kvnga.

Depois de mais um ano frenético em 2023, o mercado já começa 2024 com expectativas potenciais mudanças relevantes no mercado. Entre elas, a já mais do que comentada potencial aprovação dos primeiros ETFs (fundos negociados em bolsa) de bitcoin à vista (spot). Mas há também questões no fila como o desempenho da Ethereum – se será melhorado ou começará a perder espaço para outras L2. A regulamentação, como sempre, também é assunto em todo o mundo.

Abaixo, listamos previsões sobre 9 temas distintos, cada um comentado por um ator do setor:

Bitcoin

Coinbase – A exchange acredita que a criptomoeda continuará a ser a âncora do mercado, em especial com a possível aprovação de ETFs de bitcoin spot, trazendo capital de novos segmentos da população. O halving, que vai reduzir os ganhos com mineração e está previsto para abril deste ano, deve elevar ainda mais os preços. Mas, do lado da pressão de venda da cripto, e portanto nos preços, estão 141.686 BTC do fundo de reabilitação da Mt. Gox, que serão usados para pagar credores e que esses podem, ao menos em parte, vender. A liquidação da FTX também pode colocar BTC no mercado, mas nesse caso, as restituições acontecerão em fases e o impacto é incerto.

ETF Bitcoin Spot

Bitcoin Suisse – Vai aumentar o acesso ao mais novo e disruptivo ativo em mais de um século. Deverá dar maior clareza regulatória nos EUA e evitar que empresas do setor saiam do país para mercados mais abertos a criptos. Também vai dar acesso a bitcoin a novos investidores como fundos de pensão, gestores de recursos e consultores de investimentos registrados. A NYDIG, provedora de infraestrutura para operações com bitcoin, estima que a demanda pelo ETF pode ser de cerca de US$ 30 bilhões. Para essa conta, considerou o tamanho dos ETFs de ouro, com o qual a cripto costuma ser comparada como reserva de valor.

As projeções sobre os impactos do ETF variam de empresas e prazos do impacto.

Ethereum

JPMorgan – O desempenho da ether vai superar a do bitcoin e outras criptomoedas em 2024, conquistando fatia de mercado no ecossistema. A maior causa disso é a melhoria chamada EIP-4844 , ou proto-danksharding, prevista para o primeiro semestre de 2024. Se trata de uma mudança para buscar reduzir as taxas e aumentar a escalabilidade. No entanto, no geral, o banco está “cauteloso” em relação ao mercado de criptomoedas (muito embora, como publicou o Blocknews, deve participar do ETF de bitcoin spot da BlackRock, se e quando for aprovado).

Layer 1

Binance – Ethereum continua sendo a principal Camada 1 (Layer 1) de contratos inteligentes (smart contracts) na maioria das métricas. Mas, outras alternativas se mostraram promissoras em 2023, tendo um desempenho melhor do que a rede criada por Vitalik Buterin. É preciso seguir essa tendência para ver se Ethereum continuará mantendo sua dominância. O gráfico abaixo mostra como as redes Solana e Ton (Open Network) se destacaram no ano passado.

Mudança na capitalização de mercado da maioria das L1 em 2023

Fonte: CoinMarketCap, Binance Research (November 30, 2023)

Stablecoins

VanEck – O valor total das stablecoins em blockchain atingir um recorde, superando US$ 200 bilhões, antes os cerca de US$ 130 bilhões atuais. Isso acontecerá à medida que as stablecoins regulamentadas pela Markets in Crypto Assets (MiCA), a regulamentação da União Europeia (UE) são lançadas, stablecoins com rendimento se proliferam e os volumes de negociação continuam a se recuperar. Além disso, algo muito controverso pode acontecer, que é a USDC superar a USDT. A maior adoção institucional de criptos vai mostrar uma preferência pela stablecoin da Circle, o que já acontece nas blockchains de Camada 2 (Layer 2). A Tether também pode perder seu posto se o Departamento de Justiça dos EUA tomar decisões contra Justin Sun e a Tron por infrações referentes a Know Your Customer (KYC), financiamento de terrorismo e manipuplação de mercado.

Regulação

Hashdex – A regulamentação estará novamente roubando a atenção dos investidores. Europa e EUA caminham para uma clareza regulatória e a experiência da regulação de criptoativos no Brasil pode informar o que acontecerá nessas outras regiões. Há muito tempo existe o reconhecimento no Brasil de que os criptoativos devem ser tratados como outros instrumentos financeiros. Assim, o país se tornou uma prova de conceito regulatório de criptoativos. Foi um dos primeiros a aprovar um ETF de cripto e é um dos poucos a aprovar ETFs de cestas de cripto. Em outubro, o novo sistema para fundos de investimento incluiu expressamente os criptoativos como uma classe de ativos financeiros.

O Congresso aprovou a lei 14.478/22 e agora o marco regulatório está em processo de regulamentação pelo Banco Central.

Jogos

Mercado BitcoinOs investimentos altos feitos em jogos, de US$ 11 bilhões de 2020 a 2022 – mas de US$ 800 milhões em 2023 – devem “dar as caras” em 2024 e 2025. Isso porque um jogo tipo AAA, com melhor qualidade, demora de 3 a 5 anos para ser desenvolvido. A exchange acredita que os jogos Web3 terão, portanto, um novo ciclo de aparição para o mercado. A receita do setor de jogos ficou na casa de US$ 187 bilhões em 2023, com 3,38 bilhões de jogadores.

Fundos de Venture Capital

Messari No geral, os fundos de capital de risco (venture capital, VC) foram devastados pela política monetária de chicote da Federal Reserve (FED), o banco central dos EUA, nos últimos anos. Além disso, o mercado cripto conviveu com fraudes, pressões regulatórias, alguma desaceleração na captação de clientes e corte de investimentos dos clientes antigos, o que reduziu as receitas. Para piorar, IA é a nova queridinha em tecnologia. Mas, os que investiram em 2023 deverão superar o índice S&P (carteira teórica de ações das maiores empresas em bolsas nos EUA) no médio e longo prazo. Muitos podem até superar os benchmarks BTC/ETH por causa dos preços de entrada baixos de 2023. O financiamento de VC (seed até Série D+) no final de 2023 atingiu os níveis mais altos desde maio, com mais de US$ 500 milhões em negócios anunciados.

Fundos privados se recuperam. Imagem: Messari.

IA com Blockchain

a16zcrypto – Blockchains descentralizadas são um contraponto às soluções de inteligência artificial centralizadas. É preciso descobrir uma forma de descentralizar IA generativa e criar uma governança mais democrática para expandir o acesso e a inovação dessa solução. Além disso, com blockchain é possível criar ambientes públicos globais em que pessoas podem contribuir com força computacional ou dados a quem precisar na rede e serem recompensadas por isso. Por fim, blockchains podem rastrear e monitorar a origem de informações vindos IA para checar se são verdadeiras.

Nansen – Os agentes inteligentes de IA, os softwares que realizam tarefas com base em sensores, podem melhorar o desempenho de blockchain e os casos de uso. Poderão, por exemplo, processar transações e armazenar e negociar ativos de valor em nome de terceiros. Assim, se tornarão usuários, talvez entre os principais, de redes blockchain.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *