Tuneplay chega ao mercado com economia circular baseada em tokens para remunerar melhor músicos

Tuneplay lança Pedro Viáfora. Imagem: Tuneplay.

Integrante do grupo 5 a Seco, o músico Pedro Viáfora lança seu novo single, “Gostar de Alguém”, na noite desta quarta-feira (29). Mas, antes de lançar nos streamings tradicionais como YouTube e Spotify, a música chega acompanhada por um clipe exclusivamente disponível na nova plataforma Tuneplay, acessível por meio da compra de tokens. A plataforma é da TuneTraders, que por sua vez usa blockchain na divisão de royalties através de uma economia circular entre artistas e fãs, sem intermediários, e já realizou projetos com artistas como Zeca Baleiro, Ivan Lins, Tiê e Paulo Novaes.

Assim, para acessar a música de Viáfora, é preciso entrar no site ttdr.io, no aplicativo Tuneplay ou na Catarse, parceira da plataforma. Daí, compra um dos 10 tokens disponíveis da TuneTraders. A partir das 20h de hoje, até 0h01 do dia 08 de dezembro, os fãs poderão assistir em primeira mão o novo trabalho de Viáfora. Quem tem o token tem uma hora para assistir ao clipe quantas vezes quiser.

Será possível também compartilhar o clipe dentro da própria Tuneplay, atendendo à solicitação de interesse de maior valor de outro fã, ou seja, a plataforma cria um mercado secundário. Caso opte por não atender à solicitação nesse mercado secundário, o crédito volta para a “prateleira” pelo preço inicial que ele adquiriu. A cada troca entre fãs, o artista recebe 6% do valor envolvido e o fã fica com o montante remanescente dessa transação”, disse Carlos Gayotto, co-fundador da TuneTraders.

Com a Tuneplay, a TuneTraders permite, então, a compra de seu token para o fã ter o direito de ouvir uma música ainda inédita e apenas dentro do aplicativo. Depois, como acontecer com o trabalho de Viáfora, poderá revender o token no próprio app em um período pré-determinado, antes de a faixa ser lançada para o público geral nas demais plataformas de distribuição, conforme a estratégia de cada artista. O artista sempre receberá um percentual da revenda do token.

O músico determina o tempo em que a canção será disponibilizada de maneira exclusiva dentro do aplicativo. Outras experiências também poderão ser oferecidas livremente pelo artista, como a estreia de um clipe e acesso a shows, permitindo criar novos e relacionamentos com os fãs e sem intermediários.

Gayotto, que também é músico, roteirista e diretor, além de assinar a direção do videoclipe de “Gostar de Alguém”, é o idealizador do projeto. Além disso, está à frente da série MINIDocs (TV Cultura e canal Arte 1). Por conhecer o mercado fonográfico que aposta neste novo modelo, que visa criar uma economia circular entre os fãs e o próprio artista.

Dessa forma, cria-se um ecossistema onde a obra é amplamente mais valorizada em comparação às plataformas de streaming convencionais. E busca-se resolver um problema clássico do mundo artístico em que os criadores ficam com a fatia menor das receitas pelo seu trabalho, com o maior indo para a cadeia que envolve intermediários.

“Apesar de plataformas de streaming não divulgarem publicamente qual é o valor pago para o artista a cada vez que sua música é executada, estima-se que a média paga a cada reprodução seja de US$ 0,00397. Isto é, a cada mil plays a quantia repassada é de US$ 3,97. Com a Tuneplay, nesse projeto com o Pedro, o valor é de US$ 10 por reprodução, com potencial de valer mais quando mudar de mão, a cada troca de crédito entre os fãs”, disse Gayotto.

Portanto, segundo ele, “um play na nossa plataforma remunera o artista o equivalente a, no mínimo, 500 plays de Spotify”. “Nossa missão é dar ampla autonomia ao artista e transformar esse cenário. É o fã e o artista colaborando juntos em uma economia circular mais justa. A lógica atual do mercado fonográfico coloca artista e indústria em uma relação nada igualitária”.

Entusiasta do projeto, Pedro Viáfora acredita que a experiência com a Tuneplay pode ser um caso de sucesso para o pontapé inicial de uma nova tendência no mercado fonográfico: “Acho que a TuneTraders trouxe uma proposta disruptiva, que não invalida a estratégia de cada artista e nem anula a divulgação da música nas outras plataformas. Chega pra somar, e é uma soma em que o resultado pode ser mais justo para todos”. O cantor lança seu novo trabalho após a pausa do quinteto, em 2019, e do lançamento do álbum “Movimento”, do duo “Pedros”, em parceria com Pedro Altério, em 2020.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *