Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Nestlé vai rastrear café brasileiro vendido na Suécia

Crédito: Elias Shariff Falla Mardini. Pixabay

A Nestlé, que usa blockchain desde 2017, vai agora utilizar a tecnologia para rastrear o café da linha Zoégas, vendido na Suécia. Com isso, o consumidor poderá saber por onde o produto passou desde sua origem até a fábrica de torrefação em Helsingborg.

A edição “Summer 2020”, da linha Zoégas, é feita com uma mistura de grãos do Brasil, Ruanda e Colômbia. O café é vendido e grãos ou torrado e moído.

A plataforma usada é a Food Trust, da IBM e da qual a Nestlé é uma das primeiras a participar.

As embalagens do café têm um código QR. Ao acioná-lo, os consumidores vão ver informações sobre os agricultores, época da colheita, dados do embarque nos navios e período de torrefação.

A Nestlé anunciou que está também testando o monitoramento e informação ao público de dados sobre leite e azeite de palma. A empresa já usa blockchain no purê Mousline e o produto infantil Guigoz, na França.

Os grãos de café da linha Zoégas são certificados pela The Rainforest Alliance.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>