Mercado de Criptomoedas por TradingView

Mercado Livre compra participação na 2TM, dona do Mercado Bitcoin

O Mercado Livre anunciou hoje (20) que comprou uma participação no Grupo 2TM, que controla o Mercado Bitcoin e outras empresas ligadas a criptomoedas. Além disso, fez um investimento que diz estratégico na Paxos, que usa em seu serviço de negociação e custódia de criptomoedas no Brasil. Assim, a empresa indica que agora vai entrar com tudo no setor.

No entanto, a empresa que é uma das maiores da América Latina em valor de mercado, não divulgou valores da operação e quanto de participação comprou. Mas, afirmou que “os investimentos reforçam seu compromisso com o desenvolvimento e o uso de ativos digitais e blockchain na região”.

Assim, o Mercado Livre afirmou que pretende estimular o ecossistema regional. Por isso, quer oferecer produtos e serviços “cada vez mais relevantes para empreendedores e consumidores latino-americanos”. Isso porque esse mercado é o centro de sua estratégia, completou.

Desde dezembro, o Mercado Livre oferece o serviço de compra, venda de criptomoedas no Brasil, além disso, provê custódia. Isso se limita a bitcoin, ethereum e à stablecoin USFP. A questão é que não é possível movimentar criptos de e para outras carteiras. Portanto, o mercado esperava o próximo passo da empresa para crescer no setor. As transações começam com R$ 1.

Mercado Livre quer ser ator central com fatia no Mercado Bitcoin

O Mercado Livre disse que acompanha “de perto a evolução dos ativos digitais e da tecnologia blockchain em todo o mundo”. Isso significa que as parcerias e investimentos são apenas mais um exemplo das várias etapas adotadas para se integrar a esse ecossistema dinâmico, diz o comunicado da empresa.

“Estamos avaliando ativamente as várias inovações e oportunidades em torno desse mercado à medida que ele evolui. O objetivo é ser um participante central dessa disrupção”, disse André Chaves, vice-presidente sênior de Estratégia e Desenvolvimento Corporativo do Mercado Livre para América Latina. De acordo com o executivo, as criptomoedas e a tecnologia blockchain representam “um fenômeno único, global e coletivo que quebra barreiras”.

“Estamos empolgados pelo Mercado Livre juntar-se à 2TM e ao Mercado Bitcoin. O Mercado Livre pode ter um impacto significativo no desenvolvimento de criptomoedas e blockchain na região”. A afirmação é de Daniel Cunha, vice-presidente executivo de Desenvolvimento Corporativo do Grupo 2TM.

Criptos são caminhos adicionais

“O Mercado Livre foi a primeira grande plataforma a dar acesso a criptomoedas e stablecoin aos seus usuários no Brasil. O investimento na Paxos é um sinal forte da companhia para liderar a adoção de ativos digitais em larga escala na região”, afirmou Walter Hessert, chefe de Estratégia da Paxos.

O Mercado Livre diz que as iniciativas no universo cripto são caminhos adicionais para melhorar a experiência dos seus usuários. “Queremos que todos possam acessarcriptomoedas de forma simples e transparente”, completa Chaves.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.