Henrique Meirelles, político e ex-banqueiro, diz que achou proposta da Binance “interessante”

Henrique Meirelles, novo consultor da Binance. Imagem: Governo do Estado de SP/WikiCommons.

Henrique Meirelles, político e ex-banqueiro – inclusive ex-presidente do Banco Central (BC) – assumiu uma das posições no novo conselho consultivo global da Binance, maior exchange de criptomoedas do mundo e no Brasil. A empresa confirmou a informação que o jornal O Globo deu neste domingo (4). Meirelles era secretário da Fazenda e do Planejamento do estado de São Paulo quando o fundador e CEO da Binance, Changpeng Zhao (CZ), se encontrou com o então governador João Doria, em março passado.

“Eu ainda preciso estudar o assunto, é um mercado muito novo, mas achei a proposta interessante”, disse Meirelles à Folha de S. Paulo. Com a contratação, a Binance terá como conselheiro um membro com trânsito e reconhecimento tanto na área financeira, quanto na política. Isso num momento em que o Congresso e o Banco Central discutem a regulamentação das empresas que vendem criptomoedas. Além disso, a exchange comprou neste ano a plataforma de investimentos Sim;paul e indicou que quer crescer no setor também.

Na manhã desta segunda-feira (5), Meirelles participou de uma live do UOL sobre eleições e ao final, o articulista do canal, Josias de Souza, pediu, em tom de brincadeira, que quando o ex-ministro investir 15% de seu patrimônio em criptos, é para avisá-lo. “Eu te conto”, disse Meirelles sorrindo.

Meirelles, por sua vez, se junta não apenas à maior exchange do mundo, mas também a uma empresa que tem recebe acusações de concorrência desleal em diversas partes do mundo, inclusive no Brasil, por oferecer produtos sem autorização. Aqui, já levou stop order da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Também é personagem de reportagens sobre descuido em relação à origem do dinheiro que entra na empresa, o que nega. Ao mesmo tempo, está buscando autorizações em diferentes mercados para atuar.

Na área financeira, Meirelles se tornou um dos banqueiros mais respeitados do mundo. Isso porque fez carreira no setor ocupando cargos como o de presidente global do BankBoston, depois de ser o primeiro brasileiro a presidir um banco americano no Brasil. Em 2012, deu consultoria para o grupo J&F transformar o Banco Original de uma empresa pequena de crédito num banco digital relevante. Deixou a consultoria quando se tornou ministro da Fazenda.

Meirelles foi presidente do Banco Central de 2003 a 2011, no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e Ministro da Fazenda de 2016 a 2018 no governo de Michel Temer (MDB). Em 2018, no encontro do G20 na Argentina, grupo das maiores economias do mundo, disse que os países haviam decidido que os bancos centrais deveriam cuidar do tema criptomoedas.

Além disso, defendeu que a regulamentação e a taxação das criptos eram um caminho natural, como publicou o site de notícias CriptoFácil na ocasião. Tanto que estava discutindo a taxação com a Receita Federal. Mas, afirmou que a falta de regulamentação não impediria o avanço do setor.

Na área política, tem proximidade com pelo menos três partidos – PT, de Lula, que lidera as pesquisas para presidente da República nas eleições desde ano, MDB e PSDB. Começou a disputar cargos em 2002, quando se candidatou a deputado federal pelo PSDB e foi eleito. Mas, deixou o cargo e o partido para assumir o BC. Em 2018, se candidatou a presidente do país pelo MDB, partido de Temer. Em 2019 se tornou secretário de Doria e em abril deste ano, se filiou ao União Brasil (União) desde abril de 2022.

Na live do UOL, disse que é amigo de Lula, mas que não fala com ele há cerca de um ano. E afirmou ser contra a proposta de seu partido de imposto único. Para ele, ao nivelar o percentual de taxação, os mais pobres são os mais prejudicados, porque a sobra de dinheiro depois que pagam o imposto é menor do que para os mais ricos que pagariam a mesma taxa.

*Reportagem atualizada nesta segunda-feira (5) com a declaração de Meirelles à Folha de S. Paulo e participação em entrevista no UOL.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *