Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

GoLedger e BBChain entre selecionadas em programa para startups da Petrobras

Programa vai financiar R$ 22 milhões em projetos. Foto: Navio plataforma FPDO Carioca, Petrobras.

A Petrobras divulgou as 30 selecionadas na primeira fase do terceiro edital do ‘Programa Petrobras Conexões para Inovação – módulo Startups’ e dentre elas estão GoLedger e BBChain, fornecedoras de soluções em blockchain. Estarão disponíveis R$ 22 milhões para startups e pequenas empresas. Segundo a petroleira, essa é a maior seleção do tipo no setor de petróleo, gás e energia.

A GoLedeger que fornece soluções em Hyperledger para governos e empresas e a. BBChain, que aparece com sua razão social Connecting Blocks, usa Corda da R3 participou de projetos como o do registro de duplicatas da B3.

“O programa surgiu da necessidade de a Petrobras estreitar o relacionamento com o ecossistema de inovação, em especial com startups e pequenas empresas de base tecnológica. O investimento visa atender demandas mapeadas internamente na companhia e soluções que possam ser desenvolvidas de modo ágil e com possibilidade de implantação na indústria de óleo e gás”, disse a Petrobras em comunicado.

Quem vencer, além de suporte financeiro para desenvolver os projetos, vai interagir com a equipe da Petrobras, receber capacitação empresarial para posicionamento de mercado e estruturação de planos de negócios. O Sebrae também participa do programa e dará apoio às startups. Com isso, a petroleira acredita que além de serem seus fornecedores, as startups poderão trabalhar com toda a cadeia de óleo e gás.

Petrobras é uma das petroleiras que mais investe em blockchain

Como mostrou estudo recente da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e da Petrobras, publicado pelo Blocknews na semana passada, a petroleira responde por 10% dos projetos em blockchain do setor de óleo e gás. Há quatro testes e usos, inclusive em parceira com o consórcio que explora o campo Libra, no pré-sal.

Na fase final do programa, quem se classificar disputará aportes de até R$ 500 mil ou de até R$ 1,5 milhão, dependendo da categoria em que estiver – deep tech ou soft tech. Os valores serão usados em projetos de eficiência energética, robótica, redução de carbono, modelagem geológica, tecnologia de inspeção e tecnologia digital.

A GoLedger e a BBChain estão na categoria de startupos de tecnologias digiais. Agora, as 30 startups passarão por análise de documentos, elaboração dos planos de trabalho e modelos de negócio.

A VR Monkey, que venceu um dos desafios do primeiro edital e que trabalha com realidade virtual, já está desenvolvendo uma plataforma de treinamento para quem atua em espaços confinados. “Com os recursos do projeto, criamos uma experiência bastante realista e com mecânicas inovadoras para interação do usuário com personagens na plataforma”, afirmou o diretor comercial da startup, Rafael de Camargo. A previsão é implantar o piloto em outubro e ter tudo pronto no primeiro semestre de 2022. A startup nunca tinha trabalhado no setor.
 
As 30 startups pré-selecionadas no edital 2021 são as seguintes:

Há ainda uma lista das 3 empresas no cadastro de reserva, que são:

2 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>