DocuSign compra Clause, empresa de contratos inteligentes em blockchain

Moedas de bancos centrais podem reduzir custos de transações, esperam países.
DocuSign, de assinatura eletrônica, compra Clause, empresa de de contratos inteligentes registrados em blockchain

A DocuSign, plataforma de assinatura eletrônica, comprou a Clause, que cria contratos inteligentes em blockchain. “Estamos prestando particular atenção a como os acordos estão evoluindo de documentos estáticos digitais para documentos vivos”, disse Kamal Hathi, Chief Technology Officer (CTO) da DocuSign, no anúncio da aquisição.

A DocuSign já usa produtos em blockchain da Clause e já era um de seus investidores. Isso porque participou de uma rodada Series A de US$ 5,5 milhões em 2019. O líder da rodada foi a Galaxy Digital, que investe em empresas de criptoativos e blockchain.

Com o acordo, a Clause poderá fornecer contratos inteligentes para todo o mundo, disse Peter Hunn, fundador e CEO da empresa.

contratos inteligentes (smart contracts) têm cláusulas como qualquer acordo, mas também têm códigos. Uma vez na rede, o que está acertado fica registrado de forma mais segura na blockchain. E quando uma cláusula precisa entrar em vigor, essa ação vai ser automática.

Os que a Clause cria permitem, por exemplo, verificar em tempo real informações sobre quem está assinando para completar o contrato.

DocuSign usa blockchain para assinaturas de contratos eletrônicos

Os produtos da Clause já estão integrados ao DocuSign eSignature. De acordo com Hathi, a ideia é expandir a integração para o Gerenciamento do Ciclo de Vida do Contrato (CLM, em inglês). Além disso, a empresa tem interesse nas soluções que a Clause pode desenvolver para serviços financeiros, seguros e saúde.

“A Clause começou há cinco anos a partir da ideia de que os contratos deveriam ser registros computacionais e não apenas pdfs”, diz Hunn. “Assim, deveriam passar e receber dados de fontes externas como sistemas críticos de negócios e se tornarem uma parte integrada de infraestrutura de TI e não guardados no Dropbox ou Google Drive”, completou. 

A Clause usa o Hyperledger Fabric e faz parte do projeto Hyperledger. No comunicado da venda para a DocuSign, Hunn afirma que a Clause já fez vários “primeiros”. Isso vai do Smart Clause® a acordos de suprimentos que envolvem internet das coisas (IoT), a contratos de seguros paramétricos em tempo real.

Os Smart Clause® têm templates programáveis que vão sendo adicionados aos contratos inteligentes. Assim, se a empresa já tem um contrato inteligente, pode adicionar templates de outros contratos. Portanto, é desnecessário criar um contrato todo do zero.

Já o seguro paramétrico é uma modalidade nova que o setor começou a usar. Nele, os seguros são mais fiéis a parâmetros que têm relação direta com as condições do que vai estar o seguro. Por exemplo, se é uma plantação, olha-se para os parâmetros de chuva na região onde a lavoura está.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *