Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Bossanova investirá em 10 startups de criptos; Biscoint é a primeira

Aportes serão usados para maior contratação de pessoas de tecnologia. Foto: Unsplash.

A Bossanova Investimentos planeja investir R$ 5 milhões em cerca de 10 empresas que atuam com criptomoedas. Seu primeiro investimento acaba de acontecer, ao fazer um aporte pré-seed de R$ 2 milhões na Biscoint, uma intermediária entre corretoras e usuários de criptos, segundo informação no Pipeline do Valor.

O investimento aconteceu por meio do Grupo Primo, que é da plataforma de educação financeira Primo Rico. Os sócios são o fundador Thiago Nigro e a XP, que já teve corretora de criptos. O grupo e a Bossanova têm um comitê. Quem convenceu o fundo de investimentos foi Bruno Perini, sócio do Primo.

O CEO do fundo de investimentos, João Kleber, afirmou que tinha resistência ao setor e não tinha uma tese de investimento, ou seja, parâmetros para aportar recursos na área. Na Biscoint não apenas investiu, como foi bem além dos valores que costuma pagar, de até R$ 500 mil. Isso porque quis fazer todo o aporte sozinha, sem dividir com outros fundos. E já até se comprometeu a entrar a rodada de investimento Série A da Biscoint.

Biscoint fatura R$ 500 mi com criptos

A Bossanova faz micro venture capital, portanto, entra nos estágios iniciais das startups. Em seu site, afirma ser o fundo de venture capital mais ativo da América Latina, com 400 investidas.

Na Biscoint, o usuário abre uma conta e pode, por exemplo, comparar preços de bitcoin em diferentes corretoras e exchanges de criptos do exterior, como Coinbase Pro, Bitstamp e Bitfinex. Também permite comparar preços de câmbio de dólar, euro e real por bitcoin.

Com o aporte, os investidores avaliaram a Biscoint em R$ 26,6 milhões, cinco vezes mais do que na rodada anjo. O plano da empresa é dobrar o time, com foco em pessoas de tecnologia e investir nas carteiras. A startup tem 220 mil usuários e média mensal de 80 mil operações. A previsão é faturar R$ 5 milhões neste ano, segundo o co-fundador e CEO Jonathas Cariijo. O outro fundador é Thiago Borges, programador.

1 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>