Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Blockchain no Canadá: falta profissional e salário é alto

Saiu o primeiro estudo do ecossistema de blockchain de um país, no caso, o Canadá, de Vitalik Buterin, fundador do Ethereum. Dentre os achados está a falta de profissionais e os altos salários. O Canadian Blockchain Census 2019 Part I é do Blockchain Research Institute (BRI) e da Câmara de Comércio Digital do Canadá, com 158 empresas, governos, startups e acadêmicos.

Há uma corrida no mundo para saber quem vai ser o líder global de blockchain, disse Don Tapscott num artigo.

Alguns dos dados do censo são:

• O salário anual em blockchain é de 98 mil CAD, cerca de R$ 300 mil, dobro da média do país, e 60% dos contratados vêm do exterior;

• Há mais de 400 empresas com foco em blockchain, sendo 50% em Ontário;

• 30% delas oferecem produtos baseados em blockchain, 26% oferecem consultoria, 26%, infraestrutura e aplicações;

• Investimentos no Canadá deverão ter crescimento anual composto em 5 anos de 73%, o maior do mundo, atingindo US$ 644 mi;

• Além da falta de profissionais, os entrevistados apontaram como dificuldades as questões regulatórias e legais; falta de financiamentos – Buterin lançou Ethereum na Suíça – e restrições de bancos e auditorias em trabalhar com um segmento que acham criminoso. O estudo está em

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>