Mercado de Criptomoedas por TradingView

Biorrefinaria Uisa usa blockchain para rastrear açúcar

Para quem acompanha de perto o mundo do agronegócio, falar em pioneirismo no uso da tecnologia blockchain em breve já não fará mais sentido. Só para ficar em alguns exemplos, a plataforma Arabyka já rastreia grãos de café e de amêndoas e a SpaceVis começa a operar em agosto o rastreamento de todo o ciclo de vida bovino usando blockchain. Outra iniciativa recente vem da biorrefinaria Uisa, que vai fazer toda a rastreabilidade do açúcar demerara via blockchain e já avisou que o processo vai avançar para todo o portfólio da empresa.

Ao permitir a automatização do controle de todas as atividades realizadas durante a produção, o blockchain proporciona transparência, eficiência e segurança à cadeia produtiva da empresa e de seus parceiros.

No caso específico do açúcar demerara da Uisa, os consumidores terão acesso a informações sobre colheita, a partir do uso de recursos de geolocalização. Além disso, será possível ter o controle da qualidade dos produtos, e verificar todas as certificações que atestam o cuidado da companhia em todo o processo de cultivo.

O desenvolvimento da solução da Uisa ficou a cargo de uma equipe multifuncional formada por técnicos da diretoria de Tecnologia, Automação e Inovação. Além disso, envolveu dois sócios tecnológicos, Google Cloud e IT Lean, consultoria especializada em tecnologia.

“Estamos investindo cada vez mais em novas tecnologias como blockchain, uma vez que acreditamos no potencial dos nossos clientes. E queremos ajudá-los no processo de transformação digital”, de acordo com o CEO da IT Lean, Bira Padilha.

Uisa vê blockchain como evolução

A Uisa vê o uso da tecnologia como parte da evolução de suas formas de produção e controle. Além disso, possibilita a tokenização de ativos e contribuir nos processos de certificações ESG (de Environment, Social e Governance, na sigla em inglês). A empresa produz alimentos, biocombustíveis, bioenergia e bioprodutos.

Segundo José Fernando Mazuca, CEO da Uisa, a empresa tem interesse em maior transparência na relação com os consumidores e a sociedade, fornecendo informações do processo de produção. “A postura sustentável é cada vez mais valorizada por todos. Acreditamos que com esse diferencial vamos atrair novos consumidores para o Açúcar Itamarati”, diz Mazuca.

O uso do blockchain na Uisa começa pelos processos que envolvem o açúcar demerara. Mas, já é parte da estratégia a implantação da tecnologia em todas as linhas de produção da companhia. O planejamento prevê o uso da rastreabilidade em processos externos, incluindo informações sobre transporte de produtos, e também sobre parceiros e fornecedores.

Compartilhe agora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.