Claudia Mancini
é jornalista e cientista política, especializada em negócios, blockchain e economia digital

Accenture, Deloitte e Colômbia assinam declaração de direitos do blockchain

Artigos sobre blockchain podem revelar novos caminhos para indústria: Gerd Altmann. Pixabay

Accenture, Deloitte, a presidência da Colômbia estão entre os 53 signatários da declaração de direitos do Blockchain, a Presidio Principles: Foundational Values for a Descentralized Future, lançada pelo World Economic Forum Blockchain Council. A maioria deles já nasceu no mundo blockchain.

O objetivo é ter um guia que preserve os direitos dos usuários ao se desenvolver aplicativos para as plataformas. A tecnologia muitas vezes é questionada sobre a proteção de dados dos usuários, como mandam as leis LGPD, prevista para entrar em vigor no Brasil em agosto, e a GRPD, da União Europeia.

Com a pandemia do Covid-19, espera-se um aumento do uso de tecnologias e esses questionamentos podem crescer. O documento foi desenvolvido por um ano.

Os princípios são divididos em 4 pilares: transparência e acessibilidade, referente ao direito à informação sobre o sistema; privacidade e segurança, que trata do direito à proteção de dados; agência e interoperabilidade, o direito dos indivíduos de terem a propriedade e o gerenciamento de seus dados; e accountability (prestação de contas) e governança, que é sobre o direito dos usuários do sistema de entender os recursos da plataforma.

0 Comentários

Deixe um comentário

XHTML: Você pode usar estas tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>